Ciência & cultura, ciência & arte, ciência & política, ciência & sociedade, ciência & não-ciência... enfim: ciência & crítica

terça-feira, 29 de março de 2011

A 1a. universidade brasileira: Rio x Paraná x Manaus x São Paulo

Quase todo mundo diz: "a primeira universidade do Brasil foi a do Rio de Janeiro, de 1920". Pelo menos, fora do Paraná, onde se fala que foi a UFPR, de 1912. No entanto, no Amazonas é a de Manaus, de 1909. Nos anais da história paulista, existe uma esquecida "Universidade de São Paulo" de... 1911. E agora...?

Encontrei um resumo da história das primeiras universidades brasileiras em uma nota de rodapé na página 32 da dissertação de mestrado de Luz Helena Toro de Sanchez, de 1996, pela Unicamp. Vejamos:

O que foi criado em 1909 foi a Escola Livre de Manaus, que passou a chamar-se Universidade de Manaus em 1912. No entanto, durou apenas até 1926, quando foi dissolvida em três unidades.

Antes que a de Manaus virasse universidade, foi criada em 1911 uma Universidade de São Paulo - que não tem nada a ver com a atual USP -, mas que também durou pouco. Pelas minhas contas, esta teria sido a primeira institução com o nome de universidade no país.

Já a Universidade do Paraná foi criada meses depois, já em 1912. Porém, em 1915, a Reforma Carlos Maxilmiliano impediu a existência de instituções de ensino superior em cidades com menos de 10 mil habitantes (!). Era o caso de Curitiba, e a universidade teve que ser dissolvida. Suas faculdades só voltaram a ser reunidas novamente em 1946. Nesse intermédio, criaram a do Rio, em 1920. Em 1950, a Universidade do Paraná foi federalizada e ganhou o nome de UFPR.

Os paranaenses consideram, então, que a verdadeira data de criação de sua universidade é 1912. E consideram a sua a primeira universidade brasileira ainda existente. Pode valer a pena também ver a versão de toda essa história contada no site da UFPR.

E a do Rio de Janeiro? Foi fundada em 1920 (na figura no início deste texto, aparece a fachada da sua Faculdade Nacional de Direito, em foto dos anos 1920). Não foi a primeira. Mas teve uma importância histórica crucial que comentarei a seguir.


Universidade, uma questão conceitual

O caso é que nem a do Rio nem as anteriores faziam jus ao título de "universidade" no conceito em que a comunidade acadêmica carioca então pensava. Isso porque eram apenas reuniões de faculdades isoladas. Uma universidade deveria ter um projeto integrado e deveria constituir um todo orgânico.

É aí que a do Rio teve um papel histórico crucial. A insatisfação da comunidade acadêmica do Rio desencadeou um debate sobre a formação de universidades no Brasil, iniciando um longo processo de discussões e experimentos que culminou na criação da USP, em 1932, da UnB, em 1964, e do campus da Unicamp em Barão Geraldo, em 1966, entre outras. Essas, sim, vieram de um projeto originalmente feito para uma universidade, que submetia ao princípio da organicidade a sua estrutura acadêmica, arquitetônica e urbanística.

Talvez se possa dizer que a USP foi a primeira universidade do Brasil formada desde o início com a ideia de uma instituição integrada.

Em tempo: A construção e evolução do conceito de universidade no Brasil e as tentativas sucessivas de sua implantação foram extremamente bem descritas no livro "O conceito de universidade no projeto da Unicamp", de Fausto Castilho (editora da Unicamp).

Nenhum comentário:

Postar um comentário